Advertência

A Esquizofrenia Cor de Rosa é um espaço onde são despejados pensamentos, o mais inalterados possível da sua forma primordial. Não se pretende aqui construir um "cantinho" de discussão científica, filosófica, religiosa, histórica ou de qualquer outra índole. A realidade dança o tango com a ficção; o senso comum luta com a ciência, numa batalha onde ninguém sairá vencedor. Cabe-lhe a si, leitor, interpretar da maneira que lhe aprouver. Sinta-se livre para comentar, criticar ou lançar sugestões!

segunda-feira, abril 19, 2010

Luz Acesa

Fala-se tanto em poupar energia e em cuidar do ambiente... Mas sempre que vejo alguém a dormir num filme ou numa série, há  um candeeiro aceso  ao lado! Vocês não sabem que os comportamentos sociais se adquirem por imitação?!

domingo, abril 18, 2010

D'ZRT

Vou, muito sucintamente, deixar aqui um pensamento quanto a este grupo de pindéricos mimados que se julgam uma banda musical:

Terá sido um delírio do meu intelecto, ou estes sujeitos tinham dado (para grande felicidade minha e de todos os apreciadores de música) um concerto de despedida no Pavilhão Atlântico há uns anos atrás? Terá sido um esquema direccionado à tortura psicológica daqueles humanos que ainda não carecem de gosto musical? Um plano maquiavélico que consistia em fazer crer que eles iam deixar de atormentar as nossas vidas com aquele lixo áudio-visual, para uns meses depois voltarem e dizerem «A-HA! Ainda não acabou!».

O Amor

Se há algo que sempre repudiei com toda a minha essência é o amor. Não o sentimento na sua forma pura, como o que sentimos pelos nossos pais, por exemplo. Mas sim aquele amor fútil que se vê nas ruas, nos shoppings, no cinema, no metro... Enfim, por todo o lado. 

Parece que está na moda ser-se comprometido. Acho que isso começou com o hi5. O pessoal gosta de ter namorado para andar a mostrar ao mundo que não está sozinho. Outros dão-me a sensação que só querem namorar para terem alguém com quem dar quecas regularmente e poder pegar no telemóvel para enviar sms quando não têm mais nada que fazer.

Não sei porque raio isto acontece, mas há um fenómeno mais ou menos global de atracção entre raparigas de metro e meio, donas de um traseiro que se fosse uma torrada, teriam que barrar a manteiga com um remo e rapazes de quase dois metros com um nariz que lhes permite fumar enquanto tomam banho, que, se não sofrem de hipertiroidismo, aquilo é anorexia ou outra disfunção qualquer. Acredito que se a ciência ainda não arranjou explicação, centenas de psicólogos e antropologistas em todo o mundo estão a trabalhar no sentido de descobrir a causa desta epidemia.

Desconfio que este tipo de sensação é uma espécie de doença, assemelhando-se a uma gripe. Gripe esta, onde a febre se traduzirá na atracção pelo outro ser, a dor de cabeça reflecte-se no desejo incontrolável de acariciar o parceiro, e os espirros e as secreções nasais se manifestarão na troca de fluidos e micróbios a que o povo chamam vulgarmente de beijos. ...Ou então sou eu que me sinto "engripada" sempre que vejo os casais a fazer estas figuras à minha frente.

E agora dizem vocês: "Estás para aí a falar mas qualquer dia acontece-te o mesmo". E sim, está a acontecer precisamente neste momento da minha vida. Uma vez que a minha opinião acerca dos casais não mudou, imaginem como me sinto com a minha própria pessoa! Acordo feliz, rio-me sempre que pego no telemóvel, tenho a minha destreza intelectual constantemente bloqueada com pensamentos idiotas... E aquela vontade  ridícula de sorrir que não consigo domar nem por nada está a dar-me cabo do juízo. Pelo amor de Deus, senhores cientistas: encontrai uma cura para esta condição! A meu ver, ela situar-se-á logo a seguir à SIDA e ao cancro numa lista de prioridades da ciência médica.

domingo, abril 11, 2010

Chocolate


Esta iguaria constitui um dos meus maiores vícios desde os meus 3 anos (mais coisa, menos coisa). E são poucos aqueles que têm a sorte de não se perderem com tamanho pecado... Mas obviamente que não é disso que vou tratar aqui! Quem se quiser instruir acerca de vícios, que procure um grupo de ajuda adequado ao efeito ou um especialista do ramo. O que eu quero expor hoje são os rótulos do chocolate.

Nem vou enveredar pela questão das calorias. Toda a gente sabe que o chocolate faz engordar... Mas não é por isso que o devoramos! O que me traz aqui, são os avisos que qualquer rótulo de embalagem de chocolates faz.

Os ingredientes susceptíveis de causar reacções alérgicas têm que vir explicitamente mencionados, uma vez que nem toda a gente se dá ao trabalho de se informar acerca de quais os alimentos que poderá (ou não) ingerir, de modo a evitar as ditas alergias... Além daquelas pessoas que nem sequer se preocupam em saber se são alérgicas a algum alimento. É graças a estes dois tipos de patetas que nos deparamos com o seguinte aviso nas barras de chocolates de leite: "CONTÉM LEITE".

Já todos recebemos aquele email que denuncia este tipo de avisos, como é o caso emblemático da embalagem de amendoins matutano que advertia para o facto de a mesma conter amendoins. Questiono-me se tal aviso não terá sido fruto de uma acção em tribual nos EUA, onde algum desfavorecido intelectual terá ingerido acidentalmente amendoins da caixa por esta não o alertar para os ingredientes alergénios, ainda que os mesmos viessem explicitamente ilustrados na parte frontal da embalagem.

Algo que ainda mais me intriga nos rótulos dos chocolates é o aviso de que o produto poderá conter frutos de casca rija. Presumindo que frutos de casca rija são as nozes, avelãs, amêndoas e por aí fora, não é suposto esses mesmos frutos determinarem que o chocolate deixe de ser simplesmente "chocolate de leite" e passe a ser "chocolate de leite com avelãs", por exemplo? Ou os operários que fabricam o chocolate são assim tão desastrados que deixam cair os frutos para os recipientes onde o produto está a ser confeccionado com frequência tal que seja obrigatório adverter o consumidor para este deslize? Assim sendo, pergunto-me se não deveriam também avisar-nos de que o produto poderá conter cabelos, parafusos, chaves de cacifos, unhas, esferográficas, ou qualquer outro objecto passível de ser manuseado dentro das fábricas de chocolate. Dá que pensar, meus amigos...

domingo, abril 04, 2010

Páscoa

A Páscoa celebra-se por causa da ressurreição do JC, ouvia eu em miúda. Hoje em dia, parece-me que as pessoas a celebram por precisarem de umas feriazitas entre o Natal e o verão. Ou então porque precisam de uma desculpa para comer chocolates. Até aqui tudo bem... Mas por que raio associam estes factos?!

Nunca vos ocorreu em crianças, aquando das explicações dos porquês, darem por vocês a tentar perceber porque se comiam amêndoas e ovos de chocolate nesta altura? Ou até mesmo o que tinha a ressurreição a ver com os ramos benzidos que dávamos à madrinha?

Imaginem a tia religiosa a contar aos sobrinhos a história de Jesus; os putos, que só ligam às playstations e aos desenhos animados, todos entretidos a comer chocolate. Das duas uma: ou as crianças ouvem as palavras "espinhos", "pregos", "chicotadas" e continuam a comer os doces como se fosse uma história de princesas, ou então começam a chorar e a ficar agoniadas, correndo o risco de ainda vomitarem tudo o que estiveram a enfardar.

Não sei se foram essas tias que, para evitar cenários tristes ao domingo à tarde, inventaram os coelhinhos da páscoa. Mas certo é que, ou foram elas, ou alguém se lembrou que antes de arruinarem a paisagem das colinas com os crucificados (um pouco como acontece hoje com os parques eólicos), haviam lá animaizinhos felpudos que eram muito felizes.

Os folares da páscoa também não fazem muito sentido... Mas isso é coisa dos algarvios e eles regem-se pelas tradições dos mouros, portanto nem quero perceber de onde é que aquilo vem.

Santa Ceia