Advertência

A Esquizofrenia Cor de Rosa é um espaço onde são despejados pensamentos, o mais inalterados possível da sua forma primordial. Não se pretende aqui construir um "cantinho" de discussão científica, filosófica, religiosa, histórica ou de qualquer outra índole. A realidade dança o tango com a ficção; o senso comum luta com a ciência, numa batalha onde ninguém sairá vencedor. Cabe-lhe a si, leitor, interpretar da maneira que lhe aprouver. Sinta-se livre para comentar, criticar ou lançar sugestões!

domingo, janeiro 30, 2011

Não há nada pior que um wc público





Quando era miúda, se fosse a uma casa de banho no café da vila, lavava as mãozinhas num pedaço de sabão azul e branco e limpava-as numa toalha de felpo com rendas e flores pirosas bordadas. Mas agora não. Agora há higiene e saúde por todo o lado! As casas de banho públicas não escaparam às modernices da nova era.

... Ou então não.

Se há memória que não engana, é a do olfacto. E os wc continuam a cheirar igualmente mal. Não vamos estar com eufemismos. Cheiram a chichi ressequido e a merda. Tal como sempre cheiraram. Só que antigamente usava-se lixívia ao final do dia de trabalho e agora lava-se o chão de 3 em 3 horas com qualquer coisa que o deixa escorregadio a tal ponto que é preciso avisar os potenciais utentes com sinais gráficos amarelos.

As toalhas de felpo podiam não ser a melhor escolha, pois não sabemos se quem se limpou lá antes de nós lavou bem as mãos ou se tinha doenças contagiosas. É verdade.

O sabonete líquido evita que se passem os germes de umas pessoas para as outras, sim senhor.

Mas cerca de 60% das vezes que se lava as mãos num wc público, não há sabonete. E o pior é que além de só passarmos as mãos por água, vamos secá-las em máquinas que deitam ar quente. Além de se gastar energia, promove-se o desenvolvimento de bactérias nas mãos.

Ora mas que rica higiene!

2 comentários:

Danny Toledoo disse...

Gostei do post e do blog em geral. Acabei de criar o meu, se quiser dar uma olhada eu fico feliz =)
Concordo com o seu ponto de vista. As coisas mudaram e mudaram, mas não mudaram nada :S ...

Eduardo disse...

Adoro a maneira como consegues descrever as coisas!